Seguidores

terça-feira, 11 de outubro de 2016

DIA INTERNACIONAL DA MENINA

MENINA...
SEMPRE MENINA.


Menina...
Que brinca, que corre, que pula...
Menina...
Que cresce, que chora e, que também se apaixona...
Menina...
Que pensa que não é mais Menina...
Menina...
Que está se tornando Mulher...
Menina...
Que já foi Menina...
Hoje...
É uma Moça;
É uma Mulher;
É uma Senhora;
Que não esquece da Menina que, com ela caminha...
Menina.

Giovana Cristina Schneider 

terça-feira, 4 de outubro de 2016

04/10 – DIA DO BARMAN


 Dia 04 de outubro é celebrado o dia do barman, essa figura tão especial e cativante que faz parte de nossas vidas muitas vezes sem percebermos. No nascimento de um filho, onde a comemoração exige um drink alegre, pra cima, que faça transparecer toda a felicidade que você, sua família e seus amigos estão sentindo naquele momento único. Na hora de uma paquera, em que toda a tensão e  falta de confiança não podem ser notados, e que requer uma bebida relaxante, que o faça transmitir segurança em cada palavra pronunciada ao seu “alvo”. Ou até mesmo nos momentos ruins, onde problemas pessoais, financeiros e afetivos clamam por um drink mais forte, uma verdadeira “pancada” etílica, o barman está lá, sempre disposto a servi-lo e ouvi-lo.



A origem do termo “Barman”

Nos anos 30, os Estados Unidos ainda sofria dos males provocados pela m0nstruosa crise econômica de 1929, cujo principal era o desemprego. Com a auto-estima destruída (e o já conhecido ego afetado), a população norte-americana passou a abusar do consumo de medicamentos e bebidas alcoólicas, o que aumentou consideravelmente o número de suicídios e problemas de saúde.
Com isso, o governo americano implantou a chamada “lei seca”, medida que proibia a produção, o comércio e o consumo de toda e qualquer bebida alcoólica no país, o que mais tarde tornou-se uma lei. Mas a medida não surtiu o efeito esperado:  o consumo de bebidas continuou, mas dessa vez na ilegalidade. O comérico de álcool foi parar nas mãos da máfia, que usavam de todo privilégio político e imponência social para contrabandear e comercializar 

É justamente nesse momento que surge a figura do barman. Na época, os bares ilegais eram montados em porões secretos e barrados por portas de aço. Nesses locais a bebida era vendida livremente, e um homem de confiança da máfia era o responsável por servir os clientes, bem como cuidar das tarefas referentes ao bar. Além de toda responsabilidade organizacional, o barman era um jogador, dissimulado, elegante (daí os trajes clássicos usados até hoje) e discreto, sem contar o raciocínio rápido e a criatividade apurada.
Por falar em criatividade, reza a lenda que em certa batida policial em um desses porões, o barman, antecipando-se ao “baculejo” dos homens de farda, adicionou uma porção de suco de laranja aos copos de vodka que estavam sendo servidos aquela noite. Ao ser questionado sobre o que era aquele líquido amarelado no copo, ele respondeu prontamente: “suco de laranja”. Pronto, estava feito (teoricamente) o primeiro coquetel do mundo.

Vodka + suco de laranja…primeiro coquetel do mundo?

Parabéns aos mestres dos drinks e do estilo
Ser Barman (ou Bartender, você escolhe) não é só misturar bebidas, é algo que sobrepõe fazer coquetéis. Na verdade, preparar drinks saborosos é uma obrigação de todo barman. O diferencial está na perfomance.
Dessa maneira, o bom barman deve definir seu estilo, o que influencia diretamente não só no perfil dos drinks executados mas também no seu estilo próprio (penteado, roupas, acessórios). A performance é consequência da escolha de seu estilo, e é passo fundamental na apresentação visual de seu trabalho.


Os tipos mais conhecidos de barman são:
O clássico: Como o próprio nome diz, um mix do clássico com o moderno. Possui todos as habilidades de um barman, mas com o diferencial de conhecer a fundo todas as bebidas que estão no mercado nos dias de hoje.
O mixologistaO mixologista harmoniza com requinte e destreza ingredientes inusitados e antes impensáveis de serem usados em uma coqueteleira. São geralmente contratados por empresas fabricantes de bebidas para elaborar novos flavors, criar novas tendências de consumo, divulgar a marca e ministrar cursos. Sem dúvida o barman que utiliza mais da veia criativa.
O freestyler: O barman mais divertido e impressionante de todos. Sua performance, com malabarismos de garrafas e copos voando por todas as partes, é o seu grande diferencial. Hoje em dia, os bartenders não só treinam malabarismos, mas também pirofagia, acrobacia, dança, mágica, sem contar as diversas competições que existem envolvendo esse estilo de barman.
Figura extremamente popular no bar, o freestyler é um verdadeiro showman, e isso reflete na sua forma de vestir. Boinas, bandanas, faixas, bonés, piercings, cordões enormes, pulseiras, penteados modernos, enfim…tudo pra impressionar o público-alvo da casa onde trabalha, que geralmente são boates, casas noturnas, baladas, shows.
Entender um pouco mais da história dos nossos “heróis das coqueteleiras” é algo fascinante, ainda mais com todo esse clima gângster da época da crise econômica americana. Algumas tradições permanecem até hoje, como por exemplo os trajes sociais do bartender clássico, ou o estilo cowboy de se servir whisky (puro, sem gelo, na temperatura ambiente).
A profissão de bartender merece todas as homenagens que o dia lhe propõe, pois ao longo dos anos conseguiu conciliar de maneira magistral o tradicional com a novidade, a certeza de receita bem-sucedida com a doce dúvida de uma nova combinação.
Parabéns a todos vocês, autênticos mestres dos drinks.
Fonte: Pesquisado na net.
Giovana Cristina Schneider