Seguidores

sexta-feira, 28 de junho de 2013

MANIFESTAÇÃO ...


PENSEI ... LOGO, FALEI.
Bom, indo na manifestação de Marechal ... Como uma cidadã florianense, vamos participar então.

Nas palavras de Mahatma Gandhi, “a intolerância é em

 si uma forma de violência e um obstáculo ao 

desenvolvimento do verdadeiro espírito democrático”.




Não entendo e, acredito que nunca vou entender este povo de Marechal Floriano/ES. ... Eles falam muito que isso é coisa da OPOSIÇÃO e tal. Gente o que devemos é nos POSICIONAR como CIDADÃO ... Estamos ou não numa DEMOCRACIA ??? Os cidadãos numa democracia não têm apenas direitos, têm o dever de participar no sistema político que, por seu lado, protege os seus direitos e as suas liberdades.#ProntoFalei.



Sim, no meu ponto de vista teve pouquíssimas pessoas no movimento de Marechal Floriano. Mas, também penso que a luta é nacional e não só municipal e todos deveriam ter um pensamento só: O de melhorias políticas e sociais, que não é para mim, para você ... É PARA TODOS NÓS.
Eu, como cidadã florianense/brasileira estive presente, pois acredito, seria um dever de todos. Ah, e devo lembrar APARTIDÁRIA.




Pensei, logo falei ...

Então, com estas manifestações pelo Brasil. Estou aprendendo mais sobre politica e ficando por dentro de assuntos que antes não me eram atraentes, procurando saber de nossos direitos e deveres que na democracia reza. É muito interessante, estou achando ... E sei, que muitos assim estão fazendo, aprendendo mais e mais. Estas manifestações são validas, pois o significado da DEMOCRACIA É : Do Grego Demo=Povo e Cracia= Governo ou seja GOVERNO DO POVO. Sou favorável as manifestações por reformas politicas sim, no Brasil, no Estado e nos Municípios. Não querendo o mal ao atual prefeito, quero si que ele tenha uma ótima gestão para o POVO. E, como reza a DEMOCRACIA é um dever do POVO cobrar. Não vejo nenhum mal nisso cobrar de quem ele (POVO) colocou lá, isso é DEMOCRACIA. Marechal não pode ser tão alienado como tem se mostrado, não e não, independente que vc seja funcionário da prefeitura é um dever cobrar melhorias, você é POVO. Mas, infelizmente Marechal não pensa assim (essa bobeira de oposição na cabeça). Bom, sou uma ACS encostada pelo INSS por causa de um acidente que sofri em 2007, então, nunca tive qualquer ajuda de gestor nenhum (fiquei alguns anos sem receber nada), bom era com certeza um problema meu, né (graças a Deus tive ajuda de amigos).
Compartilho com a ideia de manifestar por melhorias não só nesta gestão e, sim em muitas outras que viram.


É A MINHA OPINIÃO.


Bom, esta foto é demais, rsrsrsrs







GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER

NELSON MANDELA ...


Líder negro e estadista da África do Sul.


Nelson Mandela foi um líder rebelde e, posteriormente, presidente da África do Sul de 1994 a 1999. Seu nome verdadeiro é Rolihlahla Madiba Mandela. Principal representante do movimento antiapartheid, considerado pelo povo um guerreiro em luta pela liberdade, era tido pelo governo sul-africano como um terrorista e passou quase três décadas na cadeia.

De etnia Xhosa, Mandela nasceu num pequeno vilarejo na região do Transkei. Aos sete anos, Mandela tornou-se o primeiro membro da família a frequentar a escola, onde lhe foi dado o nome inglês "Nelson". Seu pai morreu logo depois e Nelson seguiu para uma escola próxima ao palácio do Regente. Seguindo as tradições Xhosa, ele foi iniciado na sociedade aos 16 anos, seguindo para o Instituto Clarkebury, onde estudou cultura ocidental.


Em 1934, Mandela mudou-se para Fort Beaufort, cidade com escolas que recebiam a maior parte da realeza Thembu, e ali se interessou pelo boxe e por corridas. Após se matricular, começou o curso para se tornar bacharel em direito na Universidade de Fort Hare, onde conheceu Oliver Tambo e iniciou uma longa amizade.

Ao final do primeiro ano, Mandela se envolveu com o movimento estudantil, num boicote contra as políticas universitárias, sendo expulso da universidade. Dali foi para Johanesburgo, onde terminou sua graduação na Universidade da África do Sul (UNISA) por correspondência. Continuou seus estudos de direito na Universidade de Witwatersrand.

Como jovem estudante do direito, Mandela se envolveu na oposição ao regime do apartheid, que negava aos negros (maioria da população), mestiços e indianos (uma expressiva colônia de imigrantes) direitos políticos, sociais e econômicos. Uniu-se ao Congresso Nacional Africano em 1942 e dois anos depois fundou, com Walter Sisulu e Oliver Tambo, entre outros, a Liga Jovem do CNA.

Depois da eleição de 1948 dar a vitória aos afrikaners (Partido Nacional), que apoiavam a política de segregação racial, Mandela tornou-se mais ativo no CNA, tomando parte do Congresso do Povo (1955) que divulgou a Carta da Liberdade – documento contendo um programa fundamental para a causa antiapartheid.

Comprometido de início apenas com atos não violentos, Mandela e seus colegas aceitaram recorrer às armas após o massacre de Sharpeville, em março de 1960, quando a polícia sul-africana atirou em manifestantes negros, matando 69 pessoas e ferindo 180.

Em 1961, ele se tornou comandante do braço armado do CNA, o chamado Umkhonto we Sizwe ("Lança da Nação", ou MK), fundado por ele e outros militantes. Mandela coordenou uma campanha de sabotagem contra alvos militares e do governo e viajou para o Marrocos e Etiópia para treinamento paramilitar.

Em agosto de 1962 Nelson Mandela foi preso após informes da CIA à polícia sul-africana, sendo sentenciado a cinco anos de prisão por viajar ilegalmente ao exterior e incentivar greves. Em 1964 foi condenado a prisão perpétua por sabotagem (o que Mandela admitiu) e por conspirar para ajudar outros países a invadir a África do Sul (o que Mandela nega).

No decorrer dos 27 anos que ficou preso, Mandela se tornou de tal modo associado à oposição ao apartheid que o clamor "Libertem Nelson Mandela" se tornou o lema das campanhas antiapartheid em vários países.

Durante os anos 1970, ele recusou uma revisão da pena e, em 1985, não aceitou a liberdade condicional em troca de não incentivar a luta armada. Mandela continuou na prisão até fevereiro de 1990, quando a campanha do CNA e a pressão internacional conseguiram que ele fosse libertado em 11 de fevereiro, aos 72 anos, por ordem do presidente Frederik Willem de Klerk.

Nelson Mandela e Frederik de Klerk dividiram o Prêmio Nobel da paz em 1993.

Como presidente do CNA (de julho de 1991 a dezembro de 1997) e primeiro presidente negro da África do Sul (de maio de 1994 a junho de 1999), Mandela comandou a transição do regime de minoria no comando, o apartheid, ganhando respeito internacional por sua luta em prol da reconciliação interna e externa.

Ele se casou três vezes. A primeira esposa de Mandela foi Evelyn Ntoko Mase, da qual se divorciou em 1957 após 13 anos de casamento. Depois se casou com Winnie Madikizela, e com ela ficou 38 anos, divorciando-se em 1996, com as divergências políticas entre o casal vindo a público. No seu 80º aniversário, Mandela casou-se com Graça Machel, viúva de Samora Machel, antigo presidente moçambicano.

Após o fim do mandato de presidente, em 1999, Mandela voltou-se para a causa de diversas organizações sociais e de direitos humanos. Ele recebeu muitas distinções no exterior, incluindo a Ordem de St. John, da rainha Elizabeth 2ª., a medalha presidencial da Liberdade, de George W. Bush, o Bharat Ratna (a distinção mais alta da Índia) e a Ordem do Canadá.

Em 2003, Mandela fez alguns pronunciamentos atacando a política externa do presidente norte-americano Bush. Ao mesmo tempo, ele anunciou seu apoio à campanha de arrecadação de fundos contra a AIDS chamada "46664" - seu número na época em que esteve na prisão.

Em junho de 2004, aos 85 anos, Mandela anunciou que se retiraria da vida pública. Fez uma exceção, no entanto, por seu compromisso em lutar contra a AIDS.

A comemoração de seu aniversário de 90 anos foi um ato público com shows, que ocorreu em Londres, em julho de 2008, e contou com a presença de artistas e celebridades engajadas nessa luta.
Fonte = Uol Educação


Algumas frases de Nelson Mandela

- "Sonho com o dia em que todas as pessoas levantar-se-ão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos."
- "Uma boa cabeça e um bom coração formam uma formidável combinação."
- "Não há caminho fácil para a Liberdade."
- "A queda da opressão foi sancionada pela humanidade, e é a maior aspiração de cada homem livre."
- "A luta é a minha vida. Continuarei a lutar pela liberdade até o fim de meus dias."
- "A educação é a arma mais forte que você pode usar para mudar o mundo."  


Nelson Mandela atualmente - junho/2013
Internado há três semanas em estado grave, mas estável, o ex-presidente da África do Sul e Prêmio Nobel da Paz, de 94 anos.
No entanto, os médicos disseram que o estado de saúde de Mandela ainda é “crítico”.
Mandela foi internado no último dia 8 em decorrência de uma infecção pulmonar.

Realmente um grande LÍDER.
Um homem que lutou por ideais de um povo.

GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER 

quinta-feira, 27 de junho de 2013

UTOPIA ?? ... TALVEZ.




Utopia pode ser considerada também não apenas a ideia de idealizar um lugar ou uma vida em uma visão fantasiosa, pode ser também um modo otimista de ver o mundo e ver as coisas do jeito que gostaríamos que elas fossem.


Muitas vezes me pego pensando ...
"... Como muitas coisas seriam melhores, se as pessoas 
agissem diferente de como agem ...
A maldade reina na cabeça e línguas de muitos seres 
humanos ...
E estas maldades se tornam ações, infelizmente."
Sim, existe aquela tal frase:
"SE quer mudanças, comece mudando você"
O que ela diz, realmente é um FATO.
Mas, o meu sonho é de uma mudança geral ...
Utopia ?? Talvez ...
Que as pessoas se amassem realmente ...
Que não pensassem em obter vantagens em tudo ...
Que ajudassem com AMOR, os mais necessitados ...
Que cuidassem dos animais indefesos ...
Que todos vivessem em HARMONIA.
Uns diriam:
Mas, viver assim não tem graça nenhuma.
No meu ponto de vista ...
O que não tem graça é viver da forma como estamos 
vivendo, sem AMOR AO PRÓXIMO.
São muitos que pregam a BÍBLIA e esquecem de 
AMAR o IRMÃO.
Cada um pensando em si mesmo e, sem olhar para 
os lados.
Na política a GANÂNCIA impera.
Cada um com seu DEUS particular e, falam como 
se fossem o próprio.
E assim caminhamos nesta VIDA ...
Sei, que infelizmente assim vai continuar.
E não custa nada SONHAR.
UTOPIA ?? TALVEZ ...

Utopia é a ideia de civilização ideal, fantástica, imaginária, referindo-se a uma cidade ou um mundo porém em outro paralelo. Utopia vem de radicais gregos e significa "lugar que não existe".  Utopia foi um termo inventado por Thomas More, um escritor inglês e humanista, que ficou impressionado que Américo Vespúcio contou sobre a ilha de Fernando de Noronha, que foi avistada pelos europeus em 1503. More falou que nessa mesma ilha ele poderia construir uma civilização perfeita.

GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER

quarta-feira, 26 de junho de 2013

PARA UMA BOA REFLEXÃO ... DEMOCRACIA.



DEMOCRACIA ...

Significado:
Do grego demo=povo e cracia=governo, ou seja, governo do povo.



A história da democracia se refere a um conjunto de processos históricos cuja origem é tradicionalmente localizada na Atenas clássica, a chamada democracia ateniense, por meio dos quais foram forjados discursos e práticas politicas de cunho democrático. Democracia, por sua vez, é um conceito de difícil definição, fundamentado na noção de uma comunidade política na qual todas as pessoas possuem o direito de participar dos processos políticos e de debater ou decidir políticas igualmente e, na acepção moderna, na qual certos direitos são universalizados a partir dos princípios de liberdade de expressão e dignidade humana. O conceito de democracia, embora estreitamente vinculado à ideia de lei e ao constitucionalismo, não se resume à igualdade jurídica, e também depende do acesso democrático (isto é, igual para todos) a espaços e benefícios sociais diversos, sobretudo do ponto de vista das esquerdas.
O termo democracia é de origem grega (δημοκρατία, dēmokratía) e quer dizer "poder do povo". Na Grécia antiga o termo foi muitas vezes empregado de forma depreciativa, uma vez que a maior parte dos intelectuais gregos, entre eles Platão e Aristóteles, era contrária a um governo de iniciativa popular.


PRINCÍPIOS DA DEMOCRACIA

1-O QUE É A DEMOCRACIA ??
Democracia vem da palavra grega “demos” que significa povo. Nas democracias, é o povo quem detém o poder soberano sobre o poder legislativo e o executivo.

Embora existam pequenas diferenças nas várias democracias, certos princípios e práticas distinguem o governo democrático de outras formas de governo.

  • Democracia é o governo no qual o poder e a responsabilidade cívica são exercidos por todos os cidadãos, diretamente ou através dos seus representantes livremente eleitos.
  • Democracia é um conjunto de princípios e práticas que protegem a liberdade humana; é a institucionalização da liberdade.
  • A democracia baseia-se nos princípios do governo da maioria associados aos direitos individuais e das minorias. Todas as democracias, embora respeitem a vontade da maioria, protegem escrupulosamente os direitos fundamentais dos indivíduos e das minorias.
  • As democracias protegem de governos centrais muito poderosos e fazem a descentralização do governo a nível regional e local, entendendo que o governo local deve ser tão acessível e receptivo às pessoas quanto possível.
  • As democracias entendem que uma das suas principais funções é proteger direitos humanos fundamentais como a liberdade de expressão e de religião; o direito a proteção legal igual; e a oportunidade de organizar e participar plenamente na vida política, econômica e cultural da sociedade.
  • As democracias conduzem regularmente eleições livres e justas, abertas a todos os cidadãos. As eleições numa democracia não podem ser fachadas atrás das quais se escondem ditadores ou um partido único, mas verdadeiras competições pelo apoio do povo.
  • A democracia sujeita os governos ao Estado de Direito e assegura que todos os cidadãos recebam a mesma proteção legal e que os seus direitos sejam protegidos pelo sistema judiciário.
  • As democracias são diversificadas, refletindo a vida política, social e cultural de cada país. As democracias baseiam-se em princípios fundamentais e não em práticas uniformes.
  • Os cidadãos numa democracia não têm apenas direitos, têm o dever de participar no sistema político que, por seu lado, protege os seus direitos e as suas liberdades.
  • As sociedades democráticas estão empenhadas nos valores da tolerância, da cooperação e do compromisso. As democracias reconhecem que chegar a um consenso requer compromisso e que isto nem sempre é realizável. Nas palavras de Mahatma Gandhi, “a intolerância é em si uma forma de violência e um obstáculo ao desenvolvimento do verdadeiro espírito democrático”.


  • 2-Governo da Maioria,Direitos da Minoria
    Superficialmente, os princípios da maioria e a proteção dos direitos individuais e das minorias podem parecer contraditórios. Na realidade, contudo, estes princípios são pilares gêmeos que sustêm a mesma base daquilo que designamos por governo democrático.


    3-Relações Civis-Militares
    As questões de guerra e paz estão entre as mais graves que qualquer país pode enfrentar e, em tempos de crise, muitos países procuram a liderança dos seus militares.

    4-Partidos Políticos
    Para preservar e proteger os direitos e as liberdades individuais, um povo democrático deve trabalhar em conjunto para modelar o governo que escolher. E a maneira principal de fazer isso é através dos partidos políticos.

    5-Responsabilidades do Cidadão
    Ao contrário da ditadura, um governo democrático existe para servir o povo, mas os cidadãos nas democracias também devem concordar em seguir as regras e os deveres pelos quais se regem. As democracias garantem muitas liberdades aos seus cidadãos incluindo a liberdade de discordar e de criticar o governo.

    6-Uma Imprensa Livre
    Numa democracia, a imprensa não deve ser controlada pelo governo. Os governos democráticos não têm ministros da informação para decidir sobre o conteúdo dos jornais nem sobre as atividades dos jornalistas; não exigem que os jornalistas sejam investigados pelo Estado; nem obrigam os jornalistas a aderir a sindicatos controlados pelo governo.

    7-Federalismo
    Quando vários grupos de cidadãos livres — com diferentes línguas, religiões ou normas culturais — escolhem viver sob um quadro constitucional acordado, esperam um certo grau de autonomia local e as mesmas oportunidades econômicas e sociais. Um sistema federal de governo — poder compartilhado em nível local, regional e nacional — confere poder aos eleitos, que elaboram e administram políticas adaptadas para as necessidades locais e regionais. Trabalham em parceria com o governo nacional, devendo cada um deles resolver os muitos problemas que a nação enfrenta.

    8-O Estado de Direito
     Durante grande parte da história da humanidade, governante e lei foram sinônimos — a lei era simplesmente a vontade do governante. Um primeiro passo para se afastar dessa tirania foi o conceito de governar segundo a lei, incluindo a ideia de que até o governante está abaixo da lei e deve governar através dos meios legais. As democracias foram mais longe criando o Estado de Direito. Embora nenhuma sociedade ou sistema de governo esteja livre de problemas, o Estado de Direito protege os direitos fundamentais, políticos, sociais e econômicos e nos lembra que a tirania e a ilegalidade não são as únicas alternativas.

    9-Direitos Humanos
    Todos os seres humanos nascem com direitos inalienáveis. Estes direitos capacitam as pessoas a buscarem uma vida digna — sendo assim, nenhum governo pode conferi-los mas todos os governos devem protegê-los. A liberdade, construída sobre uma base de justiça, tolerância, dignidade e respeito — independentemente da etnia, religião, convicção política ou classe social — permite às pessoas buscar esses direitos fundamentais. Enquanto as ditaduras negam os direitos humanos, as sociedades livres lutam continuamente para alcançá-los.

    10-O Poder Executivo
    Os líderes de governos democráticos governam com o consentimento dos seus cidadãos. Esses líderes são poderosos, não porque controlam exércitos ou riqueza econômica, mas porque respeitam os limites que lhes são impostos pelo eleitorado numa eleição livre e justa.

    11-O Poder Legislativo
    Os representantes eleitos em uma democracia - quer sejam membros de um Parlamento, de uma Assembléia ou de um Congresso - estão lá para servir ao povo. Desempenham muitos papéis essenciais ao funcionamento de uma democracia saudável.


    12-Um Judiciário Independente
    Juízes independentes e profissionais constituem a base de um sistema de tribunais justo, imparcial e garantido constitucionalmente, conhecido por Poder Judiciário. Essa independência não significa que os juízes podem tomar decisões com base em preferências pessoais, mas sim que são livres para tomarem decisões legais — mesmo que tais decisões contradigam o governo ou grupos poderosos envolvidos em um caso.

    13-Constitucionalismo 
    Uma constituição escrita contém as leis mais importantes segundo as quais os cidadãos de um país concordam viver e descreve a estrutura básica do governo. Assim, o constitucionalismo democrático - baseado nos ideais de liberdade individual, direitos da comunidade e poder limitado do governo - cria um quadro para governar numa democracia.

    14-Liberdade de Expressão
    A liberdade de expressão, sobretudo sobre política e questões públicas é o suporte vital de qualquer democracia. Os governos democráticos não controlam o conteúdo da maior parte dos discursos escritos ou verbais. Assim, geralmente as democracias têm muitas vozes exprimindo idéias e opiniões diferentes e até contrárias.

     
    15-Responsabilidade do Governo
    Responsabilidade do governo significa que as autoridades públicas — eleitas e não eleitas — têm a obrigação de explicar as suas decisões e ações aos cidadãos. A responsabilidade do governo é alcançada através do uso de uma variedade de mecanismos — políticos, legais e administrativos — com o objetivo de impedir a corrupção e de assegurar que as autoridades públicas continuem responsáveis e acessíveis às pessoas a quem servem. Na ausência desses mecanismos, a corrupção pode florescer.
    Fonte = Net

    Então, faça valer o seu VOTO ...
    E que seja consciente.


    GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER
     

    terça-feira, 25 de junho de 2013

    UMA MÚSICA QUE ATRAVESSOU GERAÇÕES.

                     

                  Pra Não Dizer Que Não Falei 

                  Das Flores



    Geraldo Vandré



    Caminhando e cantando
    E seguindo a canção
    Somos todos iguais
    Braços dados ou não
    Nas escolas, nas ruas
    Campos, construções
    Caminhando e cantando
    E seguindo a canção


    Vem, vamos embora
    Que esperar não é saber
    Quem sabe faz a hora
    Não espera acontecer


    Pelos campos há fome
    Em grandes plantações
    Pelas ruas marchando
    Indecisos cordões
    Ainda fazem da flor
    Seu mais forte refrão
    E acreditam nas flores
    Vencendo o canhão


    Vem, vamos embora
    Que esperar não é saber
    Quem sabe faz a hora
    Não espera acontecer


    Há soldados armados
    Amados ou não
    Quase todos perdidos
    De armas na mão
    Nos quartéis lhes ensinam
    Uma antiga lição:
    De morrer pela pátria
    E viver sem razão


    Vem, vamos embora
    Que esperar não é saber
    Quem sabe faz a hora
    Não espera acontecer


    Nas escolas, nas ruas
    Campos, construções
    Somos todos soldados
    Armados ou não
    Caminhando e cantando
    E seguindo a canção
    Somos todos iguais
    Braços dados ou não


    Os amores na mente
    As flores no chão
    A certeza na frente
    A história na mão
    Caminhando e cantando
    E seguindo a canção
    Aprendendo e ensinando
    Uma nova lição


    Vem, vamos embora
    Que esperar não é saber
    Quem sabe faz a hora
    Não espera acontecer

    E assim vamos ...
    Continuando nossa caminhada.

    GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER

    sábado, 22 de junho de 2013

    REVOLUÇÃO ... Talvez.



    revolução (do Latim revolutìo,ónis: ato de revolver), segundo o Dicionário Houaiss é datada do século XV e designa "grande transformação, mudança sensível de qualquer natureza, seja de modo progressivo, contínuo, seja de maneira repentina"; "movimento de revolta contra um poder estabelecido, e que visa promover mudanças profundas nas instituições políticas, econômicas, culturais e morais"

    ( Mais de 100 mil nas rus de Vitória/ES.)

    Então ...
    Em primeiro lugar, é bom saber que, quando usamos o termo "revolução", estamos nos referindo a um acontecimento que gerou mudanças econômicas, políticas e sociais; as mudanças têm que ocorrer em todos esses setores, ou seja, se ocorrer só na economia e na política, por exemplo, não podemos empregar a palavra "revolução" em seu real significado.

    (Manifestação em Brasilia)


    Aristóteles descreveu dois tipos de revolução política:
    1. Completa mudança de uma constituição para outra
    2. Modificação de uma constituição existente.
    As revoluções tem ocorrido durante a História da Humanidade e variam muito em termos de métodos, duração e motivação ideológica. Podem dar-se por formas pacíficas ou violentas. Seus resultados incluem grandes mudanças na cultura, economia, e drástica mudança das instituições e ideários sócio-políticos.
    Debates acadêmicos sobre o que constitui e não constitui um foco de revolução são feitas em torno de várias questões.
    Os primeiros estudos das revoluções principalmente analisados eventos na história da Europa de uma perspectiva psicológica, mas exames mais modernos incluem eventos globais e incorporar as perspectivas de várias ciências sociais, incluindo sociologia e ciência política.
    Várias gerações de pensamento acadêmico sobre as revoluções têm gerado muitas teorias concorrentes e contribuiu muito para a atual compreensão desse fenômeno complexo.

    Tem havido no mundo várias grandes revoluções, por meio das quais o curso da história foi radicalmente alterado. As seguintes são as principais:

    A antiga revolução islâmica – Durante os dez anos entre 622 e 632 AD, os exércitos de Mohamed levaram a cabo uma revolução sangrenta contra os árabes politeístas, estabelecendo a fé islâmica na Península Arábica por meios violentos. Depois da morte de Mohamed, os seus sucessores continuaram as suas conquistas e, por volta de 650 AD, a revolução islâmica tinha submetido o Egito, grande parte do Norte de África, Israel, a Síria, e a Pérsia à nova fé. Os árabes islamitas do Norte de África conquistaram a Espanha em 711 AD, e governaram este país até 1492.

    A revolução islâmica medieval – A revolução islâmica continuou muitos séculos a partir de um número de frentes diversas. Durante este tempo, grandes partes da Índia e da Indonésia caíram sob o domínio do Corão, assim como a Turquia, onde se estabeleceu o poderoso  Império Otomano. A marcha do Islão para Ocidente, pelos exércitos do Império Otomano, foi apenas travada em Viena, na Europa Central, em 1683.

    A revolução francesa – Entre 1789 e 1799, os camponeses franceses levaram a cabo com êxito uma revolução contra a monarquia absoluta, o feudalismo e a pobreza. Também coincidiu com grandes convicções anti-cristãs, criando assim os fundamentos do socialismo e do humanismo secular.

    A revolução nazista – A promoção da ideia de uma super-raça alemã fortemente anti-judaica e anti-cristã, constituiu a fundação do partido nazista de Hitler. Em 1933 obteve o controle do governo, e alguns anos mais tarde esta ideologia revolucionária era a fôrça impulsionadora por traz dos planos de Hitler para submeter o mundo inteiro à sua autoridade  na Segunda Guerra Mundial. A Alemanha nazista caiu em 1945, mas não antes da morte de 52 milhões de pessoas na guerra, incluindo 6 milhões de judeus exterminados das maneiras mais horrorosas.

    A revolução comunista – Uma revolução bem sucedida em 1917, levou à queda do trono do Czar, e ao domínio da União Soviética pelos comunistas em 1918. Vários outros países e governos também sucumbiram à  violência e intimidação das revoluções comunistas, incluindo a China, que continua a ter uma ditadura comunista. Muitos dos países do Terceiro Mundo tiveram a experiência de lutas revolucionárias de libertação tipo marxista.


    A atual revolução islâmica – A vasta riqueza em petróleo de muitos estados árabes, assim como de nações islâmicas, como o Irão,tem dado origem durante as últimas décadas a um grande ressurgimento da revolução islâmica, que tem por fim sujeitar o mundo inteiro à autoridade de Allah. O estabelecimento em 1948 do moderno estado de Israel, foi um catalizador para a presente grande revolução ou Jihad. Por meio da propaganda islamista e da imigração forçada dos estados árabes vizinhos, foi formado artificialmente um povo palestino para opôr a Israel e para tentar expulsar os judeus da sua terra. O próprio Yasser Arafat imigrou do Egito e incorporou muitos jordanianos no seu “povo palestino”.Todos os países árabes apoiaram os palestinos na luta contra Israel, mas foram derrotados e humilhados nas guerras que travaram contra Israel em 1948, 1956, 1967, 1973 e 1982. Isto conduziu a uma campanha cada vez maior de ódio contra Israel, e também contra os Estados Unidos e Grã Bretanha, por apoiarem Israel. O que começou como uma luta local entre Israel e seus vizinhos, transformou-se numa luta global entre o Islão e todos os não-islamitas. 


    Se esta revolta que assola o Brasil nos últimos dias, 
    vai virar uma revolução ??
    Não sei ...
    Mas, de uma coisa sei , que a população esta saturada.
    É muito descaso dos políticos com tudo ...
    É muita roubalheira ...
    Enfim, é muita coisa ruim junto.
    Muitos falam que se deveria ter um FOCO ...
    São muitos FOCOS para serem FOCALIZADOS ... 
    Então, fica difícil, ai virou realmente uma 
    FOCALIZAÇÃO.
    Ah, FOCALIZAÇÃO rimou com REVOLUÇÃO.
    E, acredito que se não acontecer agora, e se nada for mudado,
    o Brasil caminha para uma real REVOLUÇÃO, que já 
    tem nome: REVOLUÇÃO DOS 20 CENTAVOS.


    No mês de maio tivemos dois linchamentos aqui 
    no estado do Espírito Santo ...
    na época pensei:
    "Acredito, que isso não vai parar por ai, pois a 
    população está cansada e desnorteada, 
    começou a fazer justiça com as próprias mãos."
    E, infelizmente é assim que começa ...
    Quando a população fica desnorteada.


    A bandeira do Brasil normalmente não é vista como um símbolo de patriotismo entre os brasileiros, e sim como uma mera bandeira, como se fosse algo inútil. Mas de uns tempos pra cá, os brasileiros estão mudando este conceito pela bandeira, agora eles estão vendo que a bandeira é sim um símbolo de patriotismo brasileiro.

    A bandeira levantada na manifestação e a do 
    BRASIL.

    Bom, o movimento é dos brasileiros e, não dos 
    partidos políticos.
    Já deveria começar por ai, uma forma para que 
    o voto se torne FACULTATIVO.
    ENTÃO,
    EU APOIO ESSA IDEIA.

    GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER

    quarta-feira, 19 de junho de 2013

    COMO JÁ ESTAVA NA MÚSICA ...

     E no blog:

    "CADA UM DE NÓS COMPÕE A SUA HISTÓRIA."
       E o Brasil está começando a compor a sua ...

       TOCANDO EM FRENTE.

    "... Cada ser em si
            Carrega o dom de ser capaz ..."


    É uma imagem que vale a pena olhar e, olhar ...
    O povo é capaz ...
    Ele mostrou isso.
    (A imagem acima é da terceira ponte que liga Vitória
    capital do Espírito Santo à Vila Velha).
    No Brasil tivemos várias imagens lindas, como 
    sou capixaba, esta teve um sentimento a parte.


    Tiro o meu chapéu aos manisfestantes que estão 
    indo para as ruas, mostrando a sua indignação com
    a política deste Brasil ...
    E compondo a história da melhor forma, sou contra 
    o vandalismo que tem acontecido, infelizmente.
     Não vou no #vemprarua, pois como também 
    canta a música ..
    ... Ando devagar ... (uso muleta).
    Estou aqui, torcendo por um Brasil melhor.

    GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER

    terça-feira, 18 de junho de 2013

    E O MANIFESTO CONTINUA ...


    O POVO BRASILEIRO VAI CONTINUAR.


    Isso tudo está acontecendo ... 
    Pois, o brasileiro vem aguentando por muito tempo.
    Está colocando para fora tudo que estava engasgado.
    Agora, qualquer coisa por menor que seja ... 
    Vai ser como um estopim.
    E, acredito que não vai parar por ai.

    O POVO virou uma BOMBA RELÓGIO ... 


    O interessante nisto tudo, é que não se tem PARTIDO 
    POLÍTICO ...
    Na manifestação é levantada uma única BANDEIRA ...
    A BANDEIRA DO POVO BRASILEIRO.


    É um povo com sede de JUSTIÇA ...
    É um povo CANSADO ...
    DE SER ILUDIDO POR POLITIQUEIROS.
    E está vendo que a união faz a força ...
    SEMPRE.

    "Temos o VANDALISMO, que infelizmente existe ...
    E, temos o interesse de alguns PARTIDOS POLÍTICOS."

    Mas, o manifesto ai está e com certeza vai 
    continuar ...
    Uma hora o BRASIL tinha que acordar.
    E agora querem uma GREVE GERAL no dia 26/06, é 
    o que está nas redes sociais. 



    GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER

    BRASIL ... O dia 17/06/2013, entrou para a história do BRASIL.


    Eh, o povo está CANSADO ...
    O que muitos chamam de BADERNA ...
    Chamo de Revolta.










    Não preciso colocar aqui nenhuma palavra ...
    As imagens falam.

    O povo está saturado desta realidade ...






    O Brasil acordou ...
    Que assim seja.

    GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER

    domingo, 16 de junho de 2013

    NÃO FAÇA DA SUA VIDA ...


    Uma melodia triste.


    Ouvindo agora uma melodia triste que esta vindo 
    da rua ...
    Minha mente voou.
    Para lugares distantes e tristes, que foi guardado para 
    ficar, distante.
    Isso me fez pensar que não vale a pena ficar triste ...
    Mas, a melodia insistia em continuar e os pensamentos 
    tristes também ...
    É incrível o poder da mente, que por ouvir uma melodia 
    triste, fica triste também.
    COISAS DA MENTE ...
    Ainda bem que é somente uma melodia, que vai 
    acabar e, que a vida não é esta melodia.
    Pensando nisso ...
    Não podemos nos apegar a estas melodias tristes.
    Comecei então, a pensar em melodias alegres ...


     Faça da sua vida uma melodia alegre ...
    Como dizem:
    Somos o que pensamos ...
    Melodias tristes, trazem pensamentos tristes ...
    Melodias alegres, trazem pensamentos alegres ...
    Então, vamos evitar melodias tristes, não vale a pena.
    E QUE ASSIM SEJA ...

    GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER

    sábado, 15 de junho de 2013

    UM DESABAFO ...


    DE 2006.


    Dias atrás encontrei este desabafo que fiz em 2006,
    depois do julgamento do camarada que matou meu irmão,
    em 15 de Agosto de 1999.


    Depois do que ouvi na quinta-feira ( 01/06/2006) no fórum 
    de Marechal Floriano, sinceramente a palavra "justiça"
    não existe.
    O meu irmão Florentino Schneider Filho, mais conhecido 
    como "chinês", foi morto com requintes de crueldades na 
    madrugada de 15 de agosto de 1999, ficou agonizando até o
    amanhecer, aproximadamente até às 8:00hrs, quando foi 
    socorrido por populares e teve como causa morte:
    HEMORRAGIA CEREBRAL DIFUSA, TRAUMA 
    ENCEFÁLICO, FERIMENTO CONTUSO DE CABEÇA.
    E mesmo assim o seu ALGOZ que usou pedras para fazer
    esse estrago todo, foi praticamente chamado de "vítima"
    pelo seu advogado que conheço pelo nome de Cabelino.
    Tudo bem que o senhor estava no papel de advogado de 
    defesa, mas não justifica denegrir a imagem de uma pessoa 
    que não está aqui para se defender das infâmias ditas
    pelo senhor naquele tribunal.
    Espero que este "CIDADÃO DE BEM" como o 
    próprio advogado qualificou o ALGOZ, não venha fazer
    outra família passar pela mesma situação que nós passamos 
    e que até hoje não conseguimos superar.




    Foi uma situação difícil, sim ...
    Chorei, chorei por ver naquele momento o que o homem é capaz por dinheiro ...
    Chorei sim, por sentir o mal que o homem pode fazer e dizer, sem medir consequência ...
    Chorei, e quando lembro me vem lágrimas nos olhos, pois ninguém neste mundo tem o direito de tirar a VIDA ...
    Chorei sim, pois me senti impotente diante de de tanta 
    maldade ...
    Chorei por saber que este advogado conhecia e era uma pessoa querida para o meu pai, que morreu com depressão pela morte do meu irmão ...
    Chorei, pois nesta vida temos que ouvir coisas que doem e dói muito ...
    Chorei, pois minha mãe não soube e, não sabe deste julgamento, ela não merece isso ...
    Escrevendo estas breves palavras, também estou chorando ...

    ( CHINÊS)

    O QUE AQUI DEIXO ...
    É QUE O ASSASSINO MATOU O NOSSO IRMÃO,
    E ESTE TAL ADVOGADO ENTERROU.


    ( COM MAMÃE)

    ENTÃO ...
    VIVAM, POIS QUERO VER ATÉ ONDE VOCÊS VÃO.
    PERDÃO, NÃO SOU EU QUE TENHO QUE DAR ...
    TALVEZ SIM, TENHO QUE ME PERDOAR.


    GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER