Seguidores

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

ALGUMAS PARÁBOLAS PARA UMA BOA REFLEXÃO !!!




MARCAS DO AMOR 
O MENINO E A CICATRIZ


“Um menino tinha uma cicatriz no rosto, as pessoas de seu colégio não falavam com ele e nem sentavam ao seu lado, na realidade quando os colegas de seu colégio o viam franziam a testa devido à cicatriz ser muito feia.Então a turma se reuniu com o professor e foi sugerido que aquele menino da cicatriz não freqüentasse mais o colégio, o professor levou o caso à diretoria do colégio. A diretoria ouviu e chegou à seguinte conclusão:

Que não poderia tirar o menino do colégio, e que conversaria com o menino e ele seria o ultimo a entrar em sala de aula, e o primeiro a sair, desta forma nenhum aluno via o rosto do menino, a não ser que olhassem para trás.

O professor achou magnífica a idéia da diretoria, sabia que os alunos não olhariam mais para trás. Levado ao conhecimento do menino da decisão ele prontamente aceitou a imposição do colégio, com uma condição:

Que ele compareceria na frente dos alunos em sala de aula, para dizer o por quê daquela cicatriz. A turma concordou, e no dia o menino entrou em sala dirigiu-se a frente da sala de aula e começou a relatar:

- Sabe turma eu entendo vocês, na realidade esta cicatriz é muito feia, mas foi assim que eu a adquiri: Minha mãe era muito pobre e para ajudar na alimentação de casa minha mãe passava roupa para fora, eu tinha por volta de 7 a 8 anos de idade... A turma estava em silencio atenta a tudo. 

O menino continuou: além de mim, havia mais três irmãozinhos, um de quatro anos, outro de dois anos e uma irmãzinha com apenas alguns dias de vida.

Silêncio total em sala. 

- Foi aí que não sei como, a nossa casa que era muito simples, feita de madeira começou a pegar fogo, minha mãe correu até o quarto em que estávamos pegou meu irmãozinho de dois anos no colo, eu e meu outro irmão pelas mãos e nos levou para fora, havia muita fumaça, as paredes que eram de madeira, pegavam fogo e estava muito quente...

- Minha mãe colocou-me sentado no chão do lado de fora e disse-me para ficar com eles até ela voltar, pois minha mãe tinha que voltar para pegar minha irmãzinha que continuava lá dentro da casa em chama. Só que quando minha mãe tentou entrar na casa em chamas as pessoas que estavam ali, não deixaram minha mãe buscar minha irmãzinha, eu via minha mãe gritar:

- "Minha filhinha está lá dentro!" Vi no rosto de minha mãe o desespero, o horror e, ela como ela gritava, mas aquelas pessoas não deixaram minha mãe buscar minha irmãzinha... Foi aí que decidi. Peguei meu irmão de dois anos que estava em meu colo e o coloquei no colo do meu irmãozinho de quatro anos e disse-lhe que não saísse dali até eu voltar. Saí de entre as pessoas, sem ser notado e quando perceberam eu já tinha entrado na casa. Havia muita fumaça, estava muito quente, mas eu tinha que pegar minha irmãzinha. Eu sabia o quarto em que ela estava. Quando cheguei lá ela estava enrolada em um lençol e chorava muito... Neste momento vi caindo alguma coisa, então me joguei em cima dela para protegê-la, e aquela coisa quente encostou-se em meu rosto...

- Vocês podem achar esta cicatriz feia, mas tem alguém lá em casa que acha linda e todo dia quando chego em casa, ela, a minha irmãzinha me beija porque sabe que é marca de AMOR.

Vários alunos choravam, sem saberem o que dizerem ou fazerem, mas o menino foi para o fundo da classe e imovelmente sentou-se.
Para você que leu esta história, queria dizer que o mundo está cheio de CICATRIZES. Não falo da CICATRIZ visível mas das cicatrizes que não se vêem, estamos sempre prontos a abrir cicatrizes nas pessoas, seja com palavras ou nossas ações. 








A SERPENTE E O VAGA-LUME 


 Conta a lenda que uma vez uma serpente começou a perseguir um vaga-lume. Este fugia rápido, com medo da feroz predadora e a serpente nem pensava em desistir. Fugiu um dia e ela não desistia, dois dias e nada…. No terceiro dia, já sem forças o vaga-lume parou e disse à cobra: – Posso lhe fazer uma pergunta? – Não costumo abrir esse precedente para ninguém, mas já que vou te devorar mesmo, pode perguntar.
- Pertenço a sua cadeia alimentar?
- Não.
- Eu te fiz algum mal?
- Não.
- Então, por que você quer acabar comigo?
- Porque não suporto ver você brilhar!




MORAL DA HISTÓRIA:
“Se a sua estrela não brilha, não ofusque a dos outros”.












A Raposa e o Lenhador





Existiu um Lenhador viúvo que acordava às 6 da manhã e trabalhava o dia inteiro cortando lenha, e só parava tarde da noite.

Ele tinha um filho lindo, de poucos meses e uma raposa, sua amiga, tratada como bicho de estimação e de sua total confiança.

Todos os dias o lenhador ia trabalhar e deixava a raposa cuidando de seu filho.
Todas as noites ao retornar do trabalho, a raposa ficava feliz com sua chegada.

Os vizinhos do Lenhador alertavam que a Raposa era um bicho, um animal selvagem, e portando, não era confiável.

Quando ela sentisse fome comeria a criança.

O Lenhador sempre retrucando com os vizinhos falava que isso era uma grande bobagem.

A raposa era sua amiga e jamais faria isso.

Os vizinhos insistiam:

- "Lenhador abra os olhos ! A Raposa vai comer seu filho."

- "Quando sentir fome, comerá seu filho !

Um dia o Lenhador muito exausto do trabalho e muito cansado desses comentários ao chegar em casa viu a Raposa sorrindo como sempre e sua boca totalmente ensanguentada...

O Lenhador suou frio e sem pensar duas vezes acertou o machado na cabeça da raposa...

Ao entrar no quarto desesperado, encontrou seu filho no berço dormindo tranquilamente e ao lado do berço uma cobra morta...

O Lenhador enterrou o Machado e a Raposa juntos.

Se você confia em alguém, não importa o que os outros pensem a respeito, siga sempre o seu caminho e não se deixe influenciar...

E principalmente não tome decisões precipitadas...








UM HOMEM , UM CAVALO E SEU CACHORRO ...
Um homem, seu cavalo e seu cão, caminhavam por uma estrada.
Depois de muito caminhar, esse homem se deu conta de que ele, seu cavalo e seu
cão haviam morrido num acidente. Às vezes os mortos levam algum tempo para se
dar conta de sua nova condição…
A caminhada era muito longa, morro acima, o sol era forte e eles ficaram suados
e com muita sede.
Precisavam desesperadamente de água.
Numa curva do caminho, avistaram um portão magnífico, todo de mármore, que
conduzia a uma praça calçada com blocos de ouro, no centro da qual havia uma
fonte de onde jorrava água cristalina. O caminhante dirigiu-se ao homem que
numa guarita guardava a entrada.
* Bom dia, ele disse.
* Bom dia, respondeu o homem…
* Que lugar é este, tão lindo? ele perguntou.
* Isto aqui é o céu, foi a resposta..
* Que bom que nós chegamos ao céu, estamos com muita sede, disse o homem.
* O senhor pode entrar e beber água à vontade, disse o guarda,
indicando-lhe a fonte.
* Meu cavalo e meu cachorro também estão com sede.
* Lamento muito, disse o guarda. Aqui não se permite a entrada de animais.
O homem ficou muito desapontado porque sua sede era grande.
Mas ele não beberia, deixando seus amigos com sede.
Assim, prosseguiu seu caminho.
Depois de muito caminharem morro acima, com sede e cansaço multiplicados, ele
chegou a um sítio, cuja entrada era marcada por uma porteira velha semi-aberta.
A porteira se abria para um caminho de terra, com árvores dos dois lados que
lhe faziam sombra.
À sombra de uma das árvores, um homem estava deitado, cabeça coberta com um
chapéu, parecia que estava dormindo:
* Bom dia, disse o caminhante.
* Bom dia, disse o homem.
* Estamos com muita sede, eu, meu cavalo e meu cachorro.
* Há uma fonte naquelas pedras, disse o homem e indicando o lugar.
* Podem beber à vontade.
O homem, o cavalo e o cachorro foram até a fonte e mataram a sede.
* Muito obrigado, ele disse ao sair.
* Voltem quando quiserem, respondeu o homem.
* A propósito, disse o caminhante, qual é o nome deste lugar?
* Céu, respondeu o homem.
* Céu? Mas o homem na guarita ao lado do portão de mármore disse que lá era o
Céu!
* Aquilo não é o céu, aquilo é o inferno.
O caminhante ficou perplexo.
* Mas então, disse ele, essa informação falsa deve causar grandes
confusões.
* De forma alguma, respondeu o homem. Na verdade, eles nos fazem um grande
favor. Porque lá ficam aqueles que são capazes de abandonar até seus melhores
amigos…




~~~~ # ~~~~




NÃO SEI A AUTORIA DESSAS PARÁBOLAS , MAS JÁ AS 
CONHECIA !!!


REALMENTE SÃO ÓTIMAS PARA UMA BOA REFLEXÃO ...
MUITAS VEZES EM NOSSA VIDA AGIMOS ASSIM :
COMO OS ALUNOS E TAMBÉM COMO O LENHADOR ...
NO CASO DA SERPENTE TEMOS QUE TER CUIDADO 
COM A INVEJA E NOS VIGIAR PARA NÃO AGIRMOS 
COMO ELA ...
O HOMEM , UM CAVALO E O CACHORRO , AMIGOS 
SEMPRE AMIGOS EM TODAS AS HORAS .






GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER

4 comentários:

Conexão da Graça disse...

Profunda as parábolas Giovana!

Mostram a fragilidade e o engano de nossas ações que muitas vezes só tem a estética de boas, mas são feias na sua essência!

Um abraço!

Franklin

Giovana Schneider disse...

REALMENTE MEU AMIGO, QUIS COMPARTILHAR ESTAS PARÁBOLA COM VCS PARA REFLETIRMOS JUNTOS ...
E VC SEMPRE COM SABEDORIAS NAS SUAS PALAVRAS, OBRIGADA.

ABRAÇO CARINHOSO ...

GIOVANA

HENRY disse...

Grandes ensinamentos de vida, nessas historias...

Giovana! cada visita ao seu cantinho,é muito enriquecedor pra mim.

desejo pra voce e seus familiares,um otimo e abençoado final de semana...

Abraços

Cida disse...

Querida Giovana,

amei ler essas histórias! Gosto demais de textos que nos levam à reflexão!
Obrigada por compartilhar toda essa beleza com a gente!

Folgo em saber que você já está bem! :)

Aceite meu caloroso abraço.

SAÚDE & PAZ!

Sua amiga,

Cid@