Seguidores

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

A SABEDORIA DA VIDA NAS SUA ESTAÇÕES ...



AS QUATRO ESTAÇÕES DA VIDA



Primavera, Infância...


Como as flores na primavera...
nascemos, desabrochamos para a vida.
Na infância tudo é lindo...
tudo é alegria, nos sentimos protegidos...
Temos a presença de nossos pais, o amor de nossa
mãe, que transforma o choro de alguns momentos
em risos... Como num passe de mágica.
Somos felizes...





Verão, Juventude...


Os dias quentes de verão
nos fazem sentir toda a força da juventude...
somos felizes.
sonhamos, amamos, sorrimos
choramos com algumas desilusões amorosas
mas...somos jovens, tudo passa...
Voltamos a amar
a sonhar e a sorrir...
sentimos em toda a plenitude
a força da juventude...
Temos a alegria e a esperança dentro de
nossos corações... somos felizes.




Outono, Maturidade...


Não somos mais jovens
mas... não somos velhos.
O outono nos traz a maturidade
somos mais adultos, mais equilibrados,
mais preparados e seguros, para tomarmos
nossas decisões...
às vezes certas, ás vezes erradas
mas, somos livres para decidir nossas vidas
sem que ninguém nos diga o que fazer...
às vezes erramos, mas sempre querendo acertar...





Inverno, Velhice...


Chegou o inverno e com ele vem as tardes frias
as noites intermináveis de solidão e tristeza...
Mas, vem também a lembrança do que vivemos.
Os dias e horas felizes, que
passamos com a pessoa amada...
O amor, o companheirismo que tivemos...
as horas felizes com a família, que construímos...
As alegrias que nossos filhos nos proporcionaram...
É um misto de dor, tristeza , alegria e muita saudade...
Mas é também a vontade de agradecer a Deus,
por nos deixar viver as quatro
estações da vida com dignidade...

Texto: Dolores F. de Barros

ACHEI ESTE TEXTO DE UMA GRANDE SABEDORIA ,
E NÃO PUDE DEIXAR DE COMPARTILHAR COM 
VOCÊS !!!

GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER

Um comentário:

Cida disse...

Realmente muito lindo e sábio!

Obrigada pela partilha, Giovana!

Te desejo um belíssimo e abençoado final de semana.

Fique bem, fique com Deus.

Jinhos meus,

Cid@