Seguidores

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

SUS ...

OU SERIA SUSTO ???


Homem sofre infarto e morre sem atendimento a 400 metros de hospital ...


E FOI NEGADO SOCORRO PELO PRÓPRIO HOSPITAL !!!

 Um homem morreu na manhã de hoje (9) após passar mal e cair na recepção de um consultório dentário em Campinho, Sede de Domingos Martins, distante 400 metros do Hospital Dr. Arthur Gerhardt. O agricultor Reinaldo Kempin, 60 anos, morador de Alto Galo, teve um infarto e caiu no chão do consultório.

 Proprietários do consultório dentário e moradores que presenciaram a situação ligaram para o hospital solicitando socorro, mas não foi enviada uma ambulância ao local. Cerca de 15 minutos após o homem passar mal, ele morreu, sem que tenha recebido socorro. A esposa do agricultor, Azilda Kempim, ficou desesperada ao ver o marido no chão e precisou ser amparada.








É MUITO TRISTE VER O DESCASO COM A POPULAÇÃO , QUE NO MOMENTO 
QUE MAIS PRECISA NÃO TEM SOCORRO DE ONDE DEVERIA TER ...

LENDO A REPORTAGEM DA QUAL FIQUEI REALMENTE INDIGNADA : 


Segundo o superintendente do Hospital e Maternidade Dr. Arthur Gerhardt e representante do Instituto Solidário, que administra o hospital, José Romualdo de Oliveira Miranda, cabe ao Samu o atendimento em casos como o ocorrido em Domingos Martins.

“Para isso é que o Samu foi criado e que foi instalado na nossa região. O hospital não pode deslocar uma ambulância para esse tipo de atendimento porque os veículos são usados apenas para remoção de doentes. Nós também não temos pessoal preparado para esse tipo de caso”, informou Romualdo.

Segundo ele, o atendimento poderia ser feito apenas em casos em que o Samu solicite apoio de ambulâncias do hospital. “Se o Samu estiver em outra ocorrência e nos for solicitado apoio, podemos enviar uma ambulância, mas quero deixar claro que essa não é uma obrigação do hospital. Se o Samu não tiver uma ambulância para certa ocorrência, daremos um jeito de enviar”, disse.

Ainda segundo Romualdo, o deslocamento de profissionais do hospital e de ambulâncias pode comprometer o atendimento na unidade de saúde. “Eu não tenho conhecimento dessa determinação da Fhasdomar. Se o presidente diz que temos a obrigação de fazer esse tipo de atendimento, ele está contrariando uma determinação e assumindo uma responsabilidade de uma ocorrência que pode estar ocorrendo no hospital e que pode ser prejudicada se nossa equipe estiver na rua”, disse Romualdo
  
Superintendente do hospital diz que atendimento cabe ao Samu.


De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), não há legislações e nada que impeça hospitais de prestar atendimentos em locais onde o Samu atua.


O DESCASO É TOTAL ...
DESTE SUPERINTENDENTE DO HOSPITAL , DO MÉDICO QUE ESTAVA DE 
PLANTÃO !!!


QUE INFELIZMENTE VAI FICAR POR ISSO MESMO, DAQUI UNS DIAS 
NINQUÉM MAIS VAI LEMBRAR ...

E OUTROS CASOS VÃO ACONTECER ...


QUE PAÍS É ESTE ???
                         BRASIL  




O MUNICÍPIO 
DOMINGOS MARTINS / ES. 


GIOVANA CRISTINA SCHNEIDER




Um comentário:

Franklin Rosa disse...

Lamentável Giovana! Aqui onde moro, fizeram lavagem com formol durante cesariana em uma amiga nossa. Infelizmente ela veio a falecer...