Seguidores

terça-feira, 12 de agosto de 2014

MARECHAL FLORIANO ... Família Kuster.



Para começar a relatar um pouco desta família, busquei em Rubem Alves, para começar ...

"...O estudo da gramática não faz poetas. 
O estudo da harmonia não faz compositores. 
O estudo da psicologia não faz pessoas equilibradas. 
O estudo das "ciências da educação" não faz educadores. Educadores não podem ser produzidos. 
Educadores nascem. 
O que se pode fazer é ajudá-los a nascer. Para isso eu falo e escrevo: para que eles tenham coragem de nascer... " 

- Rubem Alves


Resgatando Memórias

Ulrich Kuster 

Filho de Johann Kuster, Chegou no Brasil com 16 anos, Suiço de Diepoldsau, a família chegou na Vila Braço do Sul em Outubro de 1862 (neste mesmo ano, que a Colônia Nacional do Braço do Sul, passou a ser Vila). Fundou uma escola na Vila Braço do Sul em 1886, em que dava aula no idioma alemão, sendo assim o primeiro professor. Era Músico, tocava Violino e fazia Partituras, naturalizou-se brasileiro em 1871. Faleceu em 1921.



Arnaldo Kuster
(Na segunda fila, da esquerda para direita, o quinto é Edmundo Littig, filho de Karl V.)

Nasceu na Vila Braço do Sul, em 25 de Setembro de 1898, filho de Ulrich Kuster. Traduziu a cartilha alemã para o português, sendo o primeiro professor da Vila de Marechal Floriano que dava aulas em português, na escola que seu pai fundou em 1886 ( registro acima, com alunos). Casou com Flores Passinato, que passou a ser Kuster, também professora. 
Faleceu em 08 de Fevereiro de 1961.

*A Escola ficava, nas proximidades da antiga residência, do Sr. Paulo Wassem.


Flores Passinato Kuster

Com 08 anos de idade, Flores Passinato, fez o discurso para o Presidente Nilo Peçanha (Nilo Procópio Peçanha foi um político brasileiro. Assumiu a Presidência da República após o falecimento de Afonso Pena, em 14 de junho de 1909 e governou até 15 de novembro de 1910. Foi o primeiro mulato presidente do Brasil.) 

Nasceu em Batatal, Alfredo Chaves, em 06 de Junho de 1902. Esposa de Arnaldo Kuster, foi condecorada com Diploma de Professora Normalista em 1923, pela Escola Normalista de Vitória/ES. Foi a Primeira Professora capacitada a dar aulas na Região de Marechal Floriano. Hoje a escola de Boa Esperança se chama "Escola Flores Passinato Kuster", uma justa homenagem, pois uma Professora que alfabetizou, alunos que só sabiam falar o alemão, e que aprenderam a falar o português, usou inteligência e dedicação na sua profissão de ensinar.




E como não podia deixar de falar ...
D. Nadir Kuster 


Nasceu em 11 de Fevereiro de 1933, na localidade de Soído de Baixo ( hoje Marechal Floriano).
Filha de Arnaldo Kuster e Flores Passinato Kuster, neta de Ulrich Kuster, aprendeu a ler com 05 anos, observando sua mãe dar aula, sendo também sua aluna. Antes de completar 16 anos o Secretário de Educação de Domingos Martins criou a Escola Singular do Braço Sul e a nomeou como Professora em 1949. Em 1961 veio morar na Vila de Marechal Floriano, trabalhou como Secretária da Escola Teófilo Paulino em Domingos Martins. Fez parte da primeira turma do Ginásio de Marechal Floriano. No ano de 1974 concluiu o Curso de Normalista na 
CNEC (Campanha Nacional de Escolas da Comunidade) Domingos Martins, onde lecionou Gramática Portuguesa, em dois períodos vespertino e noturno. 
É professora Aposentada, Poetiza.
Atualmente com 81 anos, tem essência para ler poesia, esta ouvi e fiquei emocionada:

MEU TREVO DE QUATRO FOLHAS
Primeira folha
A mais divina
É minha MÃE
Cheia de amor
E compreensão 
Esta folhinha 
Tem formato
De um coração...
Segunda folha
É a Maysa,
Sua presença
Me ameniza,
És bela e simples
Muito formosa
E me deixou vaidosa...
Terceira e quarta folha
Silvio e Silvana
A linda dupla
Que recebia
No mesmo dia
Das mãos de Deus.
Muito obrigada
Ó meu senhor
Por ter me dado
E confiado
"Um lindo trevo cheio de amor"
Nadir Kuster Lube

*As irmãs de D.Nadir, também foram professoras, Laura Kuster e Solange Kuster.

PS:Neste relato, não mencionei os nomes dos cônjuges, somente o da D.Flores, pois a mesma também foi professora. Coloquei mais em evidencia o nome KUSTER.

Fontes: Jair Littig
D. Nadir Kuster Lube
*Agradeço o carinho da Maysa, por me receber em sua casa, e ajudar para esta justa homenagem.
*Para D. Nadir, farei uma homenagem a parte, e com mais detalhes em outra postagem do blog.

Giovana Cristina Schneider